sábado, 30 de março de 2013

Rio ou Sampa! Viver no mundo!


Em 50 anos vividos, eu nunca imaginei morar em uma cidade que não fosse São Paulo. Está certo que algumas vezes, eu até cogitei mudar para uma cidade próxima da capital... na praia ou campo, mas somente aposentado!

Eis que surgiu um convite profissional (que ponderei durante 2 meses) e a decisão tinha como consequência a imposição de morar no Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa! De fato... estar dentro do olho do furacão da cultura brasileira não tem preço. E ainda tinha o encantamento de assumir a área de comunicação de um projeto de grandeza sem precedentes na área literária. E quem me fez o tal convite também frisava: o Rio de Janeiro vive um momento especial, você vai gostar e profissionais no seu estilo e com sua bagagem são raros por aqui.

Na primeira semana, eu passei por um batismo de fogo. Foram 3 dias seguidos de 36o C. Algo totalmente novo, após trabalhar por 5 anos em uma sala com temperatura de 15o C. Outro ponto horrível de constatar foi ficar em hotel em um período inicial. Eu me sentia como um desabrigado dessas grandes tragédias.

Eis que parte da situação foi resolvida quando na segunda semana aluguei um pequeno “loft”. Para meu espanto e por essas coincidências da vida, eu vim morar próximo de um dos lugares mais lindos aqui do Rio. Sempre me emocionei nas pedras do Arpoador. Estou no coração do Posto 6 em Copacabana e caminhando poucas quadras estou em Ipanema. O local é muito bom com bancos, farmácias, padarias, supermercados, enfim com toda infra-estrutura.

meu cantinho no Rio
Bom... com a poeira abaixando vem o dia a dia! Algumas pessoas pelo facebook apregoavam que eu estava numa vida boa. Como assim? Boa sim, claro! Mas não no senso comum da cidade de praia.. com pouco trabalho. Sabia que estava no Rio, pois o Metrô de superfície (sim, vou trabalhar de metrô) me faz ver isso pela janela, porém pisei no calçadão de Copa apenas no 17o dia de morador da Cidade Maravilhosa. E aí aquela constatação óbvia. Como paulistas e cariocas tem estilos diferentes... em tudo. E como bom forasteiro tenho que me adaptar ao “Carioca Way of Life”. O paulista deve ser muito carente, pois pega os amigos no colo. No Rio todo mundo é amigo... mas cadê? Onde estão?

Depois de 2 finais de semana em São Paulo, no feriado estou por aqui! Está certo que nada dentro de rotina, pois tenho amigos me visitando! Dias de sol e praia. Tudo bem típico. Praia no Rio e não como turista e sim como laser de cidadão! Dias antes de mudar, eu passei pela Avenida Paulista (minha paixão) e emocionado fiquei com os olhos em lágrimas! E com a sensação como a de ir morar em Tóquio senti saudades dessa Sampa amada! No dia que faleceu o cantor Emílio Santiago, eu caminhando perto de uma loja... pude ouvir sua voz sendo reproduzida com “Copacabana, princesinha do mar...” lindo! E agora? E se eu ouvir “Sampa do Caetano” ou “Sinfonia Paulistana do Billy Blanco”? São lindas homenagens de um baiano e um carioca para uma cidade que encanta muita gente! Nossa... que saudades da minha rotina paulistana. 


Se ficarei no Rio por muito tempo? Não sei! Quero viver essa experiência! Quando der estarei na minha cidade querida. Como bom paulistano sei o que é sermos cosmopolitas. E creio que para viver bem preciso me acostumar a ser um “carioca de São Paulo”. Sou brasileiro e um cidadão do mundo!

Um comentário:

ChoconhaqueComPimenta disse...

Isso mesmo... Sou Brasileiro cidadão do mundo... Essa frase diz tudo.. Sorte...